Criar um Site Grátis Fantástico
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
INQUÉRITO
DO QUE GOSTOU MAIS?
Fotos
Canções
Videos
Poesia
Textos
Projectos escolares
Tema religião
Tema mitologia
Ver Resultados

  • Currently 2.48/5

Rating: 2.5/5 (1315 votos)




ONLINE
2





Partilhe esta Página



BENVINDO

WELCOME

BIENVENU

WILLKOMMEN

BIENVENIDO

benvenuto

välkommen

bine ai venit

ترحيب

ברוך הבא

आपका स्वागत है

歡迎

καλωσόρισμα

добро пожаловать

ยินดีต้อนรับ

환영

kuwakaribisha

歓迎

ողջույն

selamat datang

நல்வரவு

 

 

 

 SOBRE MIM

     O meu nome é carlos manuel, sou professor, autor, compositor, colecionador de instrumentos musicais de todo o mundo e viajante sempre desejoso de ir mais longe. Gosto de viajar dentro de mim, em busca de novos lugares de inspiração e criatividade. Gosto de viajar na musica, na beleza das palavras e dos sons. Gosto de fazer música para quem nela quiser viajar.

 

VER TAMBÉM

www.vozetnica.blogspot.com

 

 MUSEU

     A instalação de um museu, onde possa ter exposta, de forma permanente, a minha coleção de instrumentos étnicos de todo o mundo, é um desejo só possível com ajuda jurídica e financeira. Para quem puder, e quiser ajudar, por favor contacte-me para o meu email carlosmanuel.sp@gmail.com Obrigado.

 

 

PUBLICIDADE

    No sentido de proporcionar receitas para a instalação do museu, é possível também a colocação de publicidade neste site. A eventuais interessados deixo o meu contacto de email: carlosmanuel.sp@gmail.com

Adufe genial da Catarina Anes, para Projeto Escolar Duff e Adufe, ano letivo 2015/16. Trabalho realizado pela Catarina com o seu pai e mãe. Muito obrigado. Clique no slideshow e aceda à página Duff e Adufe.

Projeto Escolar Duff e Adufe. Adufe pavão do professor, feito em caixa de pizza e cartolinas. Mais fotos, canções e vídeos em janela EDUCAÇÃO, item Duff e Adufe

 

cartaxo da Catarina Anes e do pai

Cartaxo da Catarina Anes, 5ºF e do pai, para projeto escolar cartaxos, ano letivo 2014/2015. Ver fotos e canções em item Educação/Cartaxos. Este trabalho obteve o 1º lugar no concurso de cartaxos.

Painel de cartaxos de João Henriques e família

Painel de cartaxos de João Henriques e família para a exposição escolar 2014/2015. Ver fotos e canções em item Educação/Cartaxos. Este trabalho obteve o 2º lugar no concurso de cartaxos.

Museu Virtual

Clique na imagem e aceda a link

cartaxos do João Henriques, do pai e da mãe

Cartaxo do João Henriques, do pai e da mãe. Projeto escolar 2014/2015 "Cartaxos". Ver fotos e canções em janela Educação, item cartaxos.

 

cartaxos bruxa

Cartaxos bruxa do professor. Mais fotos e canções em janela Educação, item Cartaxos.

 

Mobile sonoro

Mobile sonoro vencedor do concurso escolar. Feito por alunos e monitores da Cercimor. Do aluno Pedro do 5º ano. Mais fotos, video e canções, no item EDUCAÇÃO, mobiles sonoros.

Mobile sonoro

 

fundaçãocmcm

Clique na imagem e aceda a link

 

Chincalhos

Chincalhos. Feitos por alunas de 5º ano e famílias para a exposição na escola. Estes chincalhos inspiraram canções ao professor, que foram trabalhadas nas aulas, com flautas e instrumental Orff, gravadas e filmadas. Mais fotos e canções no item EDUCAÇÃO, canções dos instrumentos.

Chincalhos

Clique na imagem para ir a:

CMSerProfessor

 

Mobile sonoro

Mobile sonoro feito por aluna do 5º ano e a avó. Inspirou a canção Búzios, que se pode ouvir no item EDUCAÇÃO, mobiles sonoros.

 

carlosnetmood

Clique na imagem para aceder a link

 

Maraca

Maraca gato branco. Feito por aluna do 5º ano e família. Canção inspirada neste instrumento no item EDUCAÇAO, canções dos instrumentos.

 

Mobile sonoro

Mobile sonoro de canas coloridas. Feito por aluna do 5º ano e monitora da oficina da criança. Inspirou a canção Canavial, em item EDUCAÇÃO, mobiles sonoros.

 

pinto a manta

Clique na imagem para aceder a link

 

Reco-reco

Reco-reco galo. Feito por aluno do 5º ano e família para exposição escolar. Inspirou a canção Um regalo, que se encontra no item EDUCAÇÃO, canções dos instrumentos.

 

Reco-reco

Reco-reco peixe. Colaboração de aluna de 5º ano para a exposição na semana de educação musical. O instrumento foi construído por um senhor amigo da família, no Escoural. Inspirou canção, que se encontra no item EDUCAÇÃO, canções dos instrumentos.

 

Cartaxo

Cartaxo. Instrumento de cana, utilizado nos ranchos folclóricos. Oferecido por aluno. Tema para a exposição escolar deste ano letivo 2014/15. Ver fotos e canções no item CARTAXOS.

 

Natureza sonora

Natureza sonora. Projeto escolar. Mais fotos e canções em item EDUCAÇÃO, natureza sonora.

 

Mobile sonoro

Mobile sonoro com aproveitamento de tampas de garrafas e algumas conchas. Colaboração para a exposição escolar de aluno de 5º ano e família. Inspirou a canção Tampinha, trabalhada na aula com vozes, flautas e Orff.

 

Tréculas

 Tréculas. Idiofone tradicional português. Este instrumento foi feito pelo pai de uma aluna de 6º ano para a exposição da escola subordinada ao tema "instrumentos tradicionais". Inspirou uma canção, que a turma trabalhou com vozes, flautas e Orff. Mais fotos e canções em item EDUCAÇÃO, canções dos instrumentos.

 

          

  

 

                 

 

 Ronca de Elvas

 Ronca de Elvas. Mais fotos em MUSEU e EXPOSIÇÃO. Veja também o video no atelier do autor das roncas, Luis Pedras, em OUTRAS ARTES, roncas de Elvas.
         
 

 
         
    
Cordofones e idiofones da minha coleção. Mais fotos em item MUSEU e EXPOSIÇÃO.

 
 
            

     

 

 

 

Mobiles sonoros

 Mobiles sonoros. Mais fotos, videos e canções em item EDUCAÇÃO, mobiles sonoros.

 

 

        

 

 

                

 

 

Na sala de aula

 

 

 

 

 

               

 

 

 

 

 

 

 

          

 

 

                     

 

 

 

 

 

 

 

             

 

 

 

 

                      

       

 

      

 

 

 

      

 

 

            

 

        

 

 

 

 

          

 

 

 

 

 

 

                       

 

 

 

 

 

                  

 

 

 

                  

 

 

 

          

 

 

 

                

 


cambodja
cambodja


CAMBODJA

     A chegada a Siem Reap fez-se através de um voo da Vietnam Airlines proveniente de Luang Prabang. Foi uma viagem curta, com alguma turbulência devido às monções, mas nada de muito assustador. Os procedimentos junto dos serviços do aeroporto decorreram de forma organizada e rápida, o que nos permitiu sair rapidamente rumo ao nosso hotel. No entanto, um pequeno desencontro com o guia que nos devia esperar tornou esse momento mais curioso. O guia estava lá, mas com um cartaz que ninguém reconheceu como sendo dirigido a nós. Habitualmente, quer no Laos e no Vietnam, viajava na parte da frente das carrinhas que nos transportavam aos locais a visitar, o que me permitia ver a documentação que, por vezes, os guias consultavam. Desse modo foi possível para mim, identificar o guia que nos esperava e que nos devia conduzir ao hotel, reparando no nome e no símbolo da agência que também vira nos papéis dos guias no Laos e Vietnam. Cheguei junto do grupo e disse que o nosso guia deveria ser aquele e era. A dificuldade tornou-se maior devido ao facto do guia não falar inglês, mas acabou tudo bem.

     A nossa primeira saída, para reconhecimento do local e aprender o caminho do centro de Siem Reap, foi feita já de noite, a pé. Apesar de ter chovido e a ameaça de mais chuva pairar sobre nós, é sempre a melhor maneira de aprender a movimentar-nos numa nova cidade, é caminhar calmamente, observar detalhes e memorizando pistas, pontos de referência para fazer o caminho de volta ao hotel. Não prescindindo, no entanto, do mapa da cidade, fornecido pelo guia ou solicitando no hotel.

      A minha primeira impressão da cidade de Siem Reap não foi a melhor, devo confessar, no início da caminhada em busca dos mercados noturnos. No entanto, essa primeira impressão desfavorável desvaneceu-se rapidamente com a chegada aos mercados noturnos. O colorido, o movimento, o exotismo do que encontrei, fizeram com que a minha opinião de Siem Reap mudasse radicalmente. Parece que a vida está toda ali na sua mais esfuziante alegria.

Ponte colorida com reflexos no rio. Siem Reap, zona dos mercados noturnos.

Nesta primeira saída procurava também localizar alguns locais que tinha visto referidos por viajantes no trip advisor ou em blogues, e um desses locais era a Pub Street, onde se dizia haver bons restaurantes e muita animação a preços convidativos. Encontramos a Pub Street ali mesmo na zona dos mercados noturnos

 Um dos locais que procurava por estar muito bem referenciado, era o restaurante Khmer Family, que encontramos um pouco por acaso, enquanto circulávamos pelo colorido e sempre agitado mercado. Nesse restaurante fizemos duas refeições, um jantar e um almoço e não desiludiu.

 Durante toda esta viagem no Sudeste Asiático andei a pagar a cerveja consumida às principais refeições, almoço e jantar, a preços exorbitantes até para a Europa, cheguei a pagar cinco euros por uma garrafa de cerveja. Aqui no Cambodja a cerveja também é muito cara. Cheguei a perguntar ao guia porquê a cerveja tão cara, respondeu que eram os preços para os turistas, para os locais era mais barato. No entanto, percebemos que havia maneira de beber cerveja barata, basta apenas aproveitar as promoções que os restaurantes fazem publicitar em cartazes junto às respetivas esplanadas. Servem-nos uma cerveja a copo muito fresquinha, o copo é grande e o preço é muito mais barato que cerveja de garrafa. Tenho pena que só perto do fim da viagem tenha descoberto esta solução.

Outra curiosidade a que o viajante não consegue resistir é fotografar os carrinhos com vários tipos de insetos fritos e prontos a comer, no entanto, prepare-se porque se não comprar uma espetadinha de aranhas ou escorpiões tem que pagar para fotografar

 É claro que eu paguei para fotografar, apesar da enorme curiosidade em provar, ainda não encontrei coragem suficiente para experimentar.

Aqui no Cambodja, os tuk-tuk também são diferentes do que se vê em outros países asiáticos. Fizemos várias viagens nestes tuk-tuk, que estão por todo o lado às centenas, e cujos condutores não se cansam de nos oferecer os seus serviços, sem no entanto serem demasiado incomodativos, basta dizer que não obrigado e eles não insistem. Mas de seguida já tem outro a perguntar se queremos tuk-tuk.

 As massagens também são uma tradição por estas paragens. à medida que caminhamos despreocupados, procurando absorver e registar tudo o que nossos olhos vêm, somos convidados a fazer uma massagem. As massagens não são caras, antes pelo contrário, e podem mesmo ser feitas em plena rua, ou em espaços abertos para a rua.

 

DINNER SHOW

CAMBODJA, Siem Reap

CAMBODJA, Siem Reap, Templos

CAMBODJA, Siem Reap, Dinner show